Dr Eduardo Adnet


Médico Psiquiatra e Nutrólogo

Sobre o Aborto e suas Consequências


As consequências do aborto para a saúde mental das mulheres é imprevisível. Já para o bebê que se desenvolvia no útero, a consequência é não somente previsível, mas letal: a morte.
 

 

Um aborto pode afetar diretamente, e por vezes de modo dramático, o bem estar psíquico e afetivo de uma mulher. Sentimentos de culpa, ansiedade, sensação de perda, depressão e até mesmo pensamentos suicidas podem ocorrer em mulheres que praticaram o aborto. Muitas mulheres permanecem em um estado de choque ou trauma logo após terem se submetido a um aborto. Há diversos casos de suicídios de mulheres que não conseguiram assimilar a perda do filho e acabaram perdendo suas vidas. Sentimentos comuns incluem raiva, vergonha, remorso, desespero, baixa auto-estima, alterações comportamentais diversas, angústia e arrependimento.

As taxas de suicídio são seis vezes maiores em mulheres após o aborto.¹

Um estudo descobriu que 65% das mulheres americanas que se submeteram a abortos experimentaram sintomas de Transtorno de Estresse Pós Traumático.²

Já um outro estudo realizado na Nova Zelândia descobriu que mulheres que se submeteram a abortos tiveram maiores taxas de comportamento suicida, depressão, ansiedade, abuso de substâncias e outros distúrbios após o aborto. O estudo descobriu que estas não eram condições psiquiátricas pré-existentes.³

O aborto foi diretamente associado a 34% de aumento no risco de desenvolvimento de transtorno de ansiedade e aumento de 110% nas chances para o desenvolvimento de depressão.¹²

 

Traindo o Juramento de Hipócrates - o Juramento Médico

 

"Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo *não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva."
Texto do Juramento de Hipócrates - o Juramento Médico.

*No texto original do Juramento de Hipócrates, está dito: não darei a nenhuma mulher nenhum pessário para provocar aborto. Pessário: A palavra vem do grego antigo pessarion, e se refere a uma preparação de substância embebida em lã ou algodão e que era inserida através de um objeto na vagina com o objetivo de provocar o abortamento. Os métodos podiam variar e foram usados em diversas culturas antigas com o objetivo de abortar. Hipócrates, em seu Juramento Médico, opunha-se ao aborto, como o seu próprio texto claramente o evidencia. Com o termpo, outros significados foram dados à palavra pessário, sendo uma delas o que equivaleria aos atuais Dispositivos Intra-Uterinos (DIU). O aborto, portanto, é uma negação ao Juramento do Médico.

 

Pessário, Museu de Ciências de Londres

 

Dispositivos Intra-Uterinos - DIU - Mecanismos de Ação


1-Impedem a implantação do óvulo fertilizado (mecanismo abortivo).
2-Produzem uma reação inflamatória local no endométrio como resultado da presença de um corpo estranho causando efeito espermicida, e a presença de cobre aumenta esta reação, e ainda aumentam a liberação local de prostaglandinas desta forma reduzindo as probabilides da gravidez.
3-Diminuem o transporte de espermatozóides através do cervix do útero para o oviduto, aumentando a espessura do muco cervical (o que acontece com o DIU hormonal).
4-Dispositivos Intra-Uterinos com liberação de Esteróides induzem mudanças progestacionais que resultam em atrofia da glândula endometrial e inibição do desenvolvimento do óvulo fertilizado. (mecanismo abortivo). (Dr Najeeb Layyous - Center for Infertility IVF Gynecology and Obstetrics; London, England, Fellow of the Royal College of Obstetricians & Gynecologists).

 

Estatísticas - Abortos - Global

- Aproximadamente 46 milhões de abortos por ano.

- Aproximadamente 1 Bilhão de abortos nos últimos 50 anos.

 

"A mim me veio, pois, a palavra do SENHOR, dizendo: Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações." Jeremias 1:4,5

 

"Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles! Se os contasse, excedem os grãos de areia; contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim." Salmos 139: 14-18
 

 

Referências:

1-Gissler, Hemminki & Lonnqvist, "Suicides after pregnancy in Finland, 1987-94: register linkage study," British Journal of Medicine 313:1431-4, 1996, and M. Gissler, “Injury deaths, suicides and homicides associated with pregnancy, Finland 1987-2000,” European J. Public Health 15(5):459-63, 2005. See also DC Reardon et. al., “Deaths Associated With Pregnancy Outcome: A Record Linkage Study of Low Income Women,” Southern Medical Journal 95(8):834-41, Aug. 2002.
2-VM Rue et. al., “Induced abortion and traumatic stress: A preliminary comparison of American and Russian women,” Medical Science Monitor 10(10): SR5-16, 2004.
3-DM Fergusson et. al., “Abortion in young women and subsequent mental health,” Journal of Child Psychology and Psychiatry 47(1): 16-24, 2006.
4-Aditi Dasgupta, Psychological Effects of Abortion on Women; Bhadra Kamalasanan, Does Abortion Increase Mental Health Problems?
5-2017 Family Research Council

 

Dr Eduardo Adnet

Médico Psiquiatra e Nutrólogo