Transtorno de Ansiedade Generalizada - TAG

 

Este é um dos transtornos mais frequentes em Psiquiatria e sua importância é muito marcante, chegando sua prevalência a ser até mesmo espantosa, pois são muitas as pessoas que padecem desta doença.
Lamentavelmente, temos de lançar mão de dados estatísticos estrangeiros, haja vista a sofrível produção de estatísticas oficiais por parte do Governo brasileiro e de seu Ministério da Saúde. Em relação às estatísticas, e no que diz respeito à saúde da população, chega-se a ter a impressão de que só existem duas doenças em atividade no Brasil: a Hipertensão Arterial e o Diabetes Melito (ou Mellitus para os mais exigentes). Estas duas entidades patológicas têm recebido bastante atenção em termos estatísticos, porém a situação é sofrível em relação às estatísticas sobre os Transtornos Psiquiátricos, os quais atingem de modo crescente povos do mundo todo.


Segundo estatísticas produzidas nos Estados Unidos da América, o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) atinge cerca de 5% da população norte-americana, o que equivale a 15 milhões de pessoas sofrendo deste transtorno, e isto somente nos EUA. Esta multidão de indivíduos equivale a nada menos do que toda a população do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo.


Embora a ansiedade seja uma manifestação natural no ser humano, normalmente desencadeada por situações específicas, como ameaças iminentes, por exemplo, no caso do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) as manifestações ansiosas estão presentes de modo contínuo e flutuante, ou seja, mesmo em não havendo necessariamente uma situação real de um risco iminente e desencadeante dos sinais e sintomas da ansiedade, no TAG a ansiedade pode surgir de modo súbito e recorrente, incomodando e afligindo.

 

Todavia, problemas no trabalho, nas relações familiares, preocupações financeiras, enfermidades físicas, dentre diversas outras situações, podem se constituir em fatores francamente desencadeantes deste transtorno. De qualquer modo, o nível de ansiedade é mais intenso do que em não portadores do TAG e as dificuldades do dia a dia são vivenciadas com mais sofrimento.


Há também, como já dito, pessoas portadoras do
Transtorno de Ansiedade Generalizada, que mesmo se encontrando em situações de conforto e sem uma ameaça real iminente, podem experimentar preocupações persistentes, tremores, transpiração sem um motivo aparente, aumento da frequência respiratória, tensão muscular, irritabilidade, insônia, dores de cabeça persistentes (cefaléia) e também dores na região do estômago (epigastralgia). Também a angústia é uma queixa frequente entre os portadores de TAG. Pensamentos pessimistas e catastrofistas são frequentemente observados. Parece que o pior acontecerá e que as saídas para os problemas se encontram cada vez mais restritas, e há uma dificuldade para se controlar as preocupações. A visão da própria vida e do mundo à sua volta pode ser assustadora e angustiante, marcada por insegurança e medo.

 

Há pacientes que convivem com a Ansiedade Generalizada por anos a fio e sem buscar tratamento. Todavia, ao se encontrarem em situações de grande pressão, e com o agravamento tanto dos sintomas psíquicos (medos, angústias, inquietude, desassossego) como dos sintomas somáticos (tremores, sudorese, cefaléia, dentre outros) passam a sentir um desconforto cada vez mais intenso, o que os leva a buscar auxílio.

O ambiente em que vivem (casa, trabalho, vizinhança, faculdade) pode conter elementos com importante influência sobre o desencadeamento ou sobre o agravamento de sintomas relacionados ao Transtorno de Ansiedade Generalizada.


Importante que se diga que também episódios depressivos e crises de pânico podem ser vistos entre os portadores do Transtorno de Ansiedade Generalizada, cabendo ao especialista a elucidação diagnóstica.
O diagnóstico correto orientará o tratamento, o qual pode ser feito com medidas terapêuticas farmacológicas (o tratamento com medicamentos) e também com psicoterapia, caso haja necessidade.

 

Dr Eduardo Adnet - Médico Psiquiatra

Especialista Titulado Pela Associação Brasileira de Psiquiatria e

Associação Médica Brasileira

 

 

Home

© Copyright Eduardo Adnet - 2014 - Todos os Direitos Reservados